Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2015

Fundo da GP Investments amplia fatia na Centauro

Imagem
Loja Centauro: aumento da participação ocorreu devido à conversão de debêntures emitidas pelo Grupo SBF Da REUTERS São Paulo - A GP Investments informou nesta segunda-feira que a participação indiretamente detida pelo fundo private equity GP Capital Partners V, L.P. em conjunto com co-investidores na varejista de produtos esportivos Centauro foi ampliada para 36,5 por cento do capital da empresa. O aumento da participação ocorreu devido à conversão de debêntures emitidas pelo Grupo SBF, holding que detém a Centauro, em ações, segundo comunicado da GP Investments. Em novembro de 2012, a GP Investments havia anunciado investimento de 450 milhões de reais para adquirir cerca de 30 por cento do Grupo SBF em conjunto com outros investidores.
O fundo de private equity GP Capital Partners V, L.P. é gerido pela GP Investments V, uma subsidiária integral da GP Investments.

Nova norma altera Instruções CVM 319 e 481

Imagem
(Foto: Divulgação)Nova norma altera Instruções CVM 319 e 481


A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) edita hoje, 15/06/2015, a Instrução CVM 565 que trás novas regras para operações de fusão, cisão, incorporação e incorporação de ações envolvendo emissores de valores mobiliários registrados na categoria A, tema atualmente regulado pela Instrução CVM 319.


A nova norma aperfeiçoa a referida Instrução nos comandos relativos: ao conteúdo mínimo das comunicações da companhia para o mercado sobre uma operação de fusão, cisão, incorporação e incorporação de ações (arts. 3º e 4º); aos deveres fiduciários dos administradores de companhias no que diz respeito à qualidade das informações divulgadas nas operações de fusão, cisão, incorporação e incorporação de ações (art. 5º); às demonstrações financeiras e informações financeiras pro forma a serem divulgadas em razão das operações de fusão, cisão, incorporação e incorporação de ações (arts. 6º e 7º); e aos critérios e ao conteúdo mínimo dos laudos…

Arbitragem em contratos com empresas publicas

12/6/2015 às 17h43 Mudanças na Lei de Arbitragem darão maior agilidade na solução de controvérsias contratuais Com a mudança na Lei de Arbitragem, sancionada pelo governo federal no dia 26 de maio e que entra em vigor a partir de 27 de julho, a cláusula compromissória poderá ser aplicada também aos contratos da administração pública direta e indireta. Com isso, os conflitos contratuais entre empresas e poder público poderão ser resolvidos com maior agilidade pelas câmaras arbitrais. Para o engenheiro Claudio Dall’Acqua, coordenador do grupo especializado em solução de conflitos contratu¬ais da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE), a complementação da lei é de grande importância para o país.
Ele conta que a cláusula arbitral já era utilizada em contratos da administração pública que tinham financiamento em moeda estrangeira, pois os organismos multilaterais, como o Banco Mundial, BID e demais organismos de fomento não aceitam as regras judiciais de nenhum pa…

Arbitragem no estatuto das Sociedades Anônimas

Imagem
Sociedades anônimas têm novas regras para estipular arbitragem na solução de controvérsias
A partir de agora, todos os acionistas estão obrigados a incluir convenção de arbitragem como mecanismo para solução de conflitos no estatuto social das sociedades anônimas, uma vez obedecidas as formalidades legais para convocação, instalação e cômputo de votos, ressalvado o direito do acionista de recesso. A mudança ocorre por meio da Lei nº 13.129, que alterou a Lei de Arbitragem (Lei nº 9.307 de 1996) e a Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404 de 1976). O objetivo da nova proposta é regular a forma de inclusão da convenção arbitral para solução de controvérsias nas sociedades anônimas. O novo normativo também dispôs que a convenção de arbitragem no estatuto social das sociedades anônimas apenas terá eficácia após 30 dias, contados da publicação da respectiva ata de Assembleia Geral que instituir a convenção da arbitragem. 
Além disso, a medida será aplicável se a inclusão não for condição p…

Fundo de Inovação Paulista investe na Smartbill RBM

Imagem
Adicionado em 09/06/2015

A Smartbill RBM, desenvolvedora de software para controle de contratos, cobrança e faturamento recorrentes, é mais uma empresa escolhida pela gestora SP Ventures para receber investimento do Fundo de Inovação Paulista, idealizado pela Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista.
Fundada em 2012 com suporte inicial da Astella Investimentos, que também participa desta segunda rodada de aporte de capital, a empresa desenvolveu uma solução de RBM (Relationship Business Management) para médias e grandes empresas e atraiu o interesse da SP Ventures pela inovação e alto potencial de escalabilidade da sua plataforma cloud, que integra um pacote de softwares para automação de toda operação financeira e cobrança inteligente: emissão de NFe, envio de boletos, contas a receber, controle, atualização e renovação de contratos.
“Este novo aporte nos ajudará a elevar a excelência dos nossos serviços, a desenvolver novos produtos e a continuar aprimorando nossas soluçõ…

Conselho da Dasa pede esclarecimentos sobre nova OPA

Imagem
sexta-feira, 8 de maio de 2015 08:00 BRT








SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho de Administração da empresa de diagnósticos Dasa pediu esclarecimentos sobre a intenção da controladora Cromossomo Participações de realizar uma nova oferta de aquisições das ações que não possui na empresa, segundo fato relevante publicado na noite de quinta-feira.

A OPA de aquisição de até a totalidade das ações ordinárias da Dasa detidas pelos acionistas não controladores tem como objetivo a retirada da Dasa do segmento especial de negociação Novo Mercado da BM&Bovespa.

O Conselho da Dasa pede fundamentação para o pedido da OPA. "Tal fundamentação é necessária para que o Conselho convoque assembleia geral a pedido de acionista", segundo correspondência enviada pelo Conselho da Dasa à Cromossomo Participações.

No fim de abril, a Cromossomo Participações, controlada pelo fundador e ex-dono da Amil, informou que pretende fazer uma nova oferta de aquisição das ações que não possui na Dasa, desta vez ao…

Negócios de M&A em todo o mundo estão aumentando

Imagem
Negócios de M&A em todo o mundo estão aumentando a um ritmo que já não se via desde o início da crise financeira. Os Estados Unidos são responsáveis por maior parte dos acordos.09:15 - 03 de Junho de 2015 | Por Notícias ao Minuto


As últimas semanas têm sido pródigas em aquisições e fusões de empresas nos mercados mundiais. 
A Intel comprou a Altera, a Gamestop fechou acordo com a Geeknet e a Charter Communications acertou o segundo maior negócio do ano com a Time Warner Cable, ultrapassando a Altice.
Maio foi o mês mais ‘agitado’ do ano, com um total de 397 mil milhões de euros em negócios. No total do ano, já foram gastos 1,59 biliões de euros em compras e fusões de empresas de todo o mundo, com a aquisição do BG Group pela Shell em troca de 73,6 mil milhões de euros a ser a maior entre janeiro e maio.

Em apenas cinco meses, 2015 já chegou a mais de metade do valor total movimentado no ano passado, prometendo um novo máximo desde o início da crise financeira. 
Os Estados Unidos são os…

Equinix comprará TelecityGroup por US$ 3,6 bilhões

Da REUTERS

Londres/Nova York - A empresa norte-americana de data center Equinix disse nesta sexta-feira que vai comprar sua concorrente britânica TelecityGroup em um negócio avaliado em 3,6 bilhões de dólares que iriam encerrar a busca da Telecity por uma rival europeia menor.

A Telecity, que administra centros de computadores que processam tráfego na internet, disse em comunicado que seu Conselho recomendou a oferta da Equinix, e assim estava encerrando um negócio em ações pela holandesa Interxion por 2,2 bilhões de dólares.

A aquisição da Telecity pela Equinix, um negócio que a Reuters noticiou na quinta-feira, criaria a maior companhia de data center da Europa.

O presidente-executivo da Equinix, Steve Smith, disse que olhava de perto a Interxion e Telecity como alvos, mas escolheu a segunda porque seus ativos e marca se encaixavam melhor.
29/05/2015
Akurat Consultoria Empresarial www.akurat.com.br