Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2015

Transações de M&A do 2º Tri de 2015

Imagem
A Merryl Data Site publicou seu relatório sobre as transações de M&A do 2º Trimestre de 2015.
Apesar do número de transações ter reduzido em quase 13% (235 / 1º Q - 205 / 2º Q), o valor das transações aumentou de USD 13,5B  para USD 15,9B, representando um aumento de 18%.



No segundo trimestre de 2015, houveram 3 grandes transações que representaram 66% do valor total de transações do trimestre sendo a maior delas a aquisição da GVT pela Telefônica Brasil, que sozinha respondeu por 52% do total do trimestre.



Segundo a Merryl Data Site os principais escritórios de advocacia que suportaram as transações de 2015 são: Transações de M&A Transações de Equity

A Akurat Consultoria presta assessoria em processos de M&A e Due Diligence com especialização em empresas de Tecnologia.
Klaus Ehmke
email: akurat@akurat.com.br

Fundadores da Gávea Investimentos devem comprar de volta gestora de recursos

Imagem
Os fundadores da Gávea Investimentos, uma gestora de recursos sediada no Rio de Janeiro, chegaram a um acordo para recomprar a empresa do J.P. Morgan Chase & Co., disseram nesta quarta-feira pessoas familiarizadas com as negociações. Segundo o acordo, que ainda não foi assinado e está atualmente sob revisão dos advogados, a companhia original voltará a seus fundadores, incluindo Armínio Fraga, disse uma das fontes. O J.P. Morgan deve ser pago ao longo de 10 anos com parte do lucro da Gávea, segundo as fontes. O valor do negócio não está ainda claro. A Gávea manterá seus fundos de hedge e de private equity, que são o núcleo de seus negócios. Os fundos de ações e do setor imobiliário - criados após a venda para o J.P. Morgan - devem ficar com o banco dos EUA, segundo uma das pessoas ouvidas. No fim de 2010, a Gávea vendeu uma fatia de 55% ao J.P. Morgan, através do Highbridge Capital Management, o fundo de hedge e de private equity do banco norte-americano. O Highbridge pagou estima…

Companhias de sistemas construtivos metálicos anunciam fusão

Imagem
As companhias de soluções industriais para construção Dânica e a Zipco assinaram nesta segunda-feira, 20, um acordo para a fusão de suas operações, abrindo caminho para a criação da segunda maior empresa do segmento de sistemas construtivos metálicos do Brasil.

Com acordo costurado pelo Pátria Investimentos, a nova empresa, batizada de DânicaZipco, tem agora mais de 800 funcionários e fábricas no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Santa Catarina, Chile e México.
Segundo as empresas, com os ganhos somados, a nova companhia teria faturamento de R$ 600 milhões em 2014, ficando atrás somente da concorrente Medabil. A expectativa agora é um crescimento na casa de 10% em 2015 e dobrar de tamanho até 2020. De acordo com os executivos envolvidos na operação, o diferencial competitivo em relação aos demais participantes do mercado é a oferta conjunta de estruturas metálicas e painéis termoisolantes industrializados. Por um lado, a Dânica traz projetos e a produção de painéis termoisolant…

O Brasil ficou barato e os investidores estão aproveitando

Imagem
Centro de distribuição em São Paulo: a economia ruim também gera oportunidades Raphael Martins, de Revista EXAME

São Paulo - Os últimos meses têm sido agitados no escritório do fundo de investimentoamericano Advent, em São Paulo. Ali, 17 profissionais dedicam-se a avaliar empresas de setores como tecnologia da informação, indústria farmacêutica, serviços de saúde e educação superior.

Um dos resultados mais recentes dessa garimpagem apareceu no fim do ano passado, quando o fundo comprou o controle da Allied, distribuidora paulista de celulares, smartphones e tablets. Outro exemplo foi a aquisição, em março deste ano, da Faculdade da Serra Gaúcha, instituição de ensino superior com sede em Caxias do Sul. Não que antes faltassem boas oportunidades no Brasil — mas, até pouco tempo atrás, as empresas daqui estavam caras. “Em 2010, quando ficou claro que o Brasil estava valorizado demais, voltamos a atenção para a Colômbia e o México, enquanto vendíamos participações aqui”, diz Patrice Etlin…

Flex e Grupo RR anunciam fusão

Imagem
Maurício Renner // terça, 14/07/2015 15:08

A catarinense Flex Contact Center anunciou uma fusão com a paulista Grupo RR, gerando um grupo de contact center com 10 mil funcionários, 12 unidades pelo país e previsão de faturamento de R$ 450 milhões para 2015.

Topázio Silveira Neto.O novo negócio foi possibilitado pelo fundo de private equity Stratus, que no final do ano passado fez um aporte não velado na Flex. A composição acionária da nova empresa também não foi aberta.
Fundada em Florianópolis em 2009, a Flex é a maior das duas empresas: faturou R$187 milhões em 2014 (um pouco abaixo da sua previsão de R$ 200 milhões) e possui mais de 7 mil profissionais.
A companhia tem 10 unidades em operação, sendo quatro em Florianópolis, duas em Lages e uma Xanxerê, ambas no interior de Santa Catarina e três em São Paulo.
O Grupo RR, com forte atuação no segmento de cobrança e análise e concessão de crédito, começou as atividades em 2001, em São Paulo, sendo fundada pelos sócios Fabio Ruiz Cerqu…