Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2015

Governo aumenta tributo sobre desoneração da folha de pagamentos

27/02/2015 Governo aumenta tributo sobre desoneração da folha de pagamentos Alíquotas de Contribuição Previdenciária das empresas serão reajustadas. Medida se soma a outras do governo para reequilibrar as contas públicas O governo publicou uma medida que na prática reduz a desoneração da folha de pagamentos das empresas, adotada a partir de 2011 para reduzir os gastos com a mão de obra e estimular a economia. Quem pagava alíquota de 1% de contribuição previdenciária sobre a receita bruta passa agora para 2,5%. Quem tinha alíquota de 2% vai para 4,5% A Medida Provisória 669 foi publicada nesta sexta-feira (27) no Diário Oficial da União. Essa é mais uma medida de aperto fiscal para reequilíbrio das contas públicas. Na tarde desta sexta, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, disse que o  governo não está eliminando, mas reduzindo o benefício  tributário. "Essa brincadeira [desoneração da folha] nos custa R$ 25 bilhões por ano e vários

Como sobreviver a 2015

Imagem
Empresários e executivos com negócios no Brasil enfrentam uma tempestade perfeita, com ameaça de recessão, altas nas tarifas, nos juros, nos impostos, no dólar e na inflação, além de escândalos de corrupção. Saiba o que fazer para não ficar refém desse período de crise. Há alguns anos, os principais indicadores econômicos do Brasil projetavam um futuro brilhante para o País. Em 2010, a expansão de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) – o maior desde o início do Plano Real – era a prova de que estávamos num caminho sem volta. O governo Dilma I começava com a perspectiva de crescimentos anuais ao redor de 5%, inflação sob controle, disciplina fiscal, segurança jurídica, baixo desemprego, grandes programas de investimentos em infraestrutura em andamento e o grau de investimento como selo de confiança para estrangeiros interessados em surfar a onda brasileira. A alegria de sediar a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada em 2016 tornava o cenário ainda mais promissor. Mas isso são águas p

A nova realidade do Lucro Presumido

Com a entrega obrigatória da Escrituração Contábil Digital (ECD) referente ao exercício de 2014, as empresas tributadas pelo Lucro Presumido que não cumprirem os preceitos legais sobre a distribuição de dividendos aos seus sócios e acionistas estarão muito mais expostas a autuações do fisco a partir deste ano. A Lei 12.973/14, agregada à Instrução Normativa 1515/14 e demais regulamentações, deve dificultar práticas como a distribuição de lucros além do permitido, com a inclusão nesses valores não tributáveis de recursos captados em instituições financeiras e, até mesmo, receitas operacionais antecipadas por manobras contábeis mesclando os regimes de caixa e competência. Segundo os novos dispositivos, não estão sujeitos ao imposto sobre a renda os lucros e dividendos pagos ou creditados a sócios e acionistas de pessoa jurídica tributada com base no lucro presumido ou arbitrado, desde que: a) o valor não supere a base de cálculo do imposto, diminuída de todos os impostos e contribuiç

Petrobras é caso de destruição de valor para Damadoran

Imagem

FUSÕES E AQUISIÇÕES CRESCEM 8,3% NO SETOR DE EDUCAÇÃO EM 2014, REVELA KPMG

Imagem
FORAM REALIZADAS 26 TRANSAÇÕES SEGMENTO DE EDUCAÇÃO TRIPLICOU NAS ÚLTIMAS DÉCADAS (FOTO: GETTY IMAGES) O número de fusões e aquisições no setor de educação cresceu 8,3% em 2014 em relação ao ano anterior, somando 26 transações concluídas de acordo com a pesquisa trimestral realizada pela KPMG. Segundo o levantamento, mais da metade (17%) dessas operações foram do tipo doméstica, ou seja, entre empresas de capital nacional. A pesquisa mostra que oito operações foram feitas por empresa controlada por estrangeiro adquirindo companhia brasileira e uma delas foi de empresa de controle nacional adquirindo companhia no país de capital estrangeiro. "Nas últimas décadas, o segmento de educação no Brasil praticamente triplicou. Passada a fase de consolidação com altos números de fusões e aquisições, agora o setor se encontra em um momento de menor movimentação, mas ainda com muitas oportunidades de crescimento no curto e longo prazo, principalmente, para as instituiç